Tudo sobre a Clamidiose Felina

Classifique o artigo

Como qualquer outro animal de estimação, o gato requer uma série de cuidados necessários ao seu bem-estar. Para além dos cuidados com a alimentação e higiene, ter atenção ao estado de saúde do gatinho é essencial.

Gato tigrado
Licença: 
CC Attribution 2.0

Como qualquer outro animal de estimação, o gato requer uma série de cuidados necessários ao seu bem-estar. Para além dos cuidados com a alimentação e higiene, ter atenção ao estado de saúde do gatinho é essencial. Para isso, é fundamental um plano de vacinação atualizado bem como consultas de rotina no veterinário.

Apesar de todos os cuidados com os gatos, é frequente surgirem problemas agudos de saúde. É, por isso, imprescindível estar atento a todo e qualquer sintoma anormal no seu gato. Uma das doenças mais frequentes que assoma os gatos é a Clamidiose Felina, também conhecida por Pneumonite Felina.

O que é a Clamidiose Felina?

A Clamidiose Felina é uma infecção respiratória, causada por uma bactéria chamada Clamydia psittaci, que se reproduz nas células do trato respiratório, provocando uma série de sintomas específicos, como veremos mais adiante. Esta bactéria pode também reproduzir-se na mucosa gástrica e no trato reprodutivo, não provocando qualquer tipo de sintoma nestes sistemas. Esta infecção caracteriza-se por afetar maioritariamente os olhos do gato, provocando conjuntivites e rinites.

Esta doença desenvolve-se com mais frequência nos gatos bebês (até aos 6 meses) e em locais onde há mais gatos a viver. Além disso, os surtos de Clamidiose surgem mais facilmente em locais pouco higienizados e pouco ventilados, assim como em situações em que o animal esteja em stress (mudança de ambiente, cio, presença de outros animais).

Transmissão

A Clamidiose é disseminada através das secreções de animais com a doença e a transmissão pode ser feita por contato direto (através da boca, focinho, secreções nasais e oculares, espirros e tosse) e por contato indireto (contato com objetos contaminados, tais como camas, prato da comida, brinquedos). Além disso, gatas gestantes contaminadas podem transmitir a doença aos seus filhotes. De referir que esta doença, mesmo após o alívio dos sintomas, fica inoculada no animal, ou seja, o agente que provoca a doença fica no animal e pode ser reativado em situações de stress.

Gatos com esta doença podem contaminar outros animais e também humanos, embora não seja muito comum.

Sintomas

Esta doença tem um período de incubação de cerca de 10 dias, o que quer dizer que, até esse tempo, o gato pode manter-se assintomático, o que pode dificultar o diagnóstico precoce. Os principais sintomas da Clamidiose são a nível do trato respiratório e dos olhos, no entanto, podem surgir alguns sintomas secundários. Em síntese, os sintomas da Clamidiose são:

  • Conjuntivite (que pode afetar um ou os dois olhos e que é mais severa em gatos filhotes)
  • Rinite
  • Piscar excessivo dos olhos
  • Inchaço e dor na região ocular
  • Dificuldade respiratória
  • Pneumonia
  • Corrimento nasal e ocular (que pode ser purulento)
  • Espirros
  • Tosse
  • Febre (em estados mais avançados da doença)
  • Falta de apetite

Na maioria dos casos, estes sintomas tendem a persistir cerca de duas a três semanas. Contudo, em casos crônicos, os sintomas podem perdurar durante alguns meses.

Diagnóstico e tratamento

Sempre que os sintomas acima descritos se manifestarem no seu gatinho, deverá levá-lo, de imediato, ao médico veterinário. Este irá formular o diagnóstico através da avaliação geral e exame físico do gato, podendo também recorrer a meios laboratoriais de diagnóstico (serologia e hemograma) para confirmar que se trata de Clamidiose.

Quanto ao tratamento, este é, por norma, simples e eficaz, e é feito à base de antibióticos orais e de antibióticos em pomada ou colírio. Além da medicação, é recomendada a higiene frequente do focinho e dos olhos do gato, bem como a desinfecção do ambiente e dos objetos usados pelo gato.

Há situações em que, após cerca de duas semanas após o término do tratamento, os gatos voltam a manifestar sintomas. Nestes casos, deverá consultar novamente o veterinário para que seja prescrito um tratamento mais eficaz.

Como em qualquer doença, o melhor é apostar na prevenção. No caso da Clamidiose, a melhor medida de prevenção é a vacinação. A vacinação, apesar de não impedir a contaminação do gato, previne a ocorrência de sintomatologia severa, o que faz com que o tratamento seja muito mais rápido e eficaz.

Apesar de ter uma sintomatologia severa, a Clamidiose tem, por norma, um bom prognóstico. Se o diagnóstico for feito atempadamente e o tratamento implementado de imediato, em poucos dias o seu gato voltará ao seu estado normal.

Classifique o artigo

Publicidade