As principais causas da febre em gatos

Classifique o artigo

Tal como os humanos, os gatos também têm ataques de febre. Caso seja passageiro, não deve ser considerado um problema.

Gato com olhos azuis
Licença: 
CC Attribution-NonCommercial-ShareAlike 2.0

Tal como os humanos, os gatos também têm ataques de febre. Caso seja passageiro, não deve ser considerado um problema. No entanto, no caso de a febre não cessar, há que ter o cuidado de falar com um veterinário sobre o caso. Como dono, é também importante estar alerta para os problemas que desencadeiam febre nestes pequenos felinos. Preparado(a) para aprender?

1. Peritonite Infecciosa Felina

Esta é uma doença viral, que se caracteriza por uma alteração do sistema imunológico dos felinos. O trauma ocorre quando os glóbulos brancos tentam destruir o vírus causador da doença, causando lesões no organismo dos bichanos. Ataca principalmente a membrana que reveste a parede intestinal, causando uma febre repentina, perda de apetite, apatia, entre outros sintomas. É uma doença incurável, porém controlada através de imunossupressores, antibióticos e uma boa nutrição.

2. A Panleucopenia Felina

A Panleucopenia Felina é também uma doença viral, geralmente contraída por filhotes entre 3 meses e 1 ano e que acomete principalmente as vias intestinais. Geralmente seu contágio se dá pelo contato de um gato com outros animais contaminados (através das fezes, urinas, secreções, etc), resultando na diminuição dos globos brancos no sangue. O tratamento deve ser feito imediatamente por meio de antibióticos, exames de sangue, soro glicofisiológico e principalmente através da vacina V4, como forma de prevenção.

3. A Rinotraqueite Felina

Popularmente conhecida como “gripe felina”,seu contágio se dá de forma natural devido à mudança de estações (principalmente o período Outono/Inverno). Seus sintomas são: espirros, dificuldade em respirar, conjuntivite, febre alta, entre outros. O tratamento ideal é feito através da vacinação até 2 aos meses de vida e, após o contágio, através de antibióticos, hidratação específica e uma alimentação especialmente indicada por especialistas.

4. Estresse Emocional

Apesar de parecer incomum, o estresse emocional também exige uma alta resposta dos agentes imunológicos sobre o organismo dos bichanos, causando febre, perda de apetite, ansiedade, agitação, etc. O tratamento indicado é uma visita a um médico veterinário, que irá investigar quais fatores psicossomáticos estão causando essa alteração imunológica, enquanto os donos dos felinos devem manter um ambiente saudável, com pouco barulho, sua presença constante junto a eles e uma nutrição bastante adequada. 

5. Infecções Bacterianas e Parasitas

Muito comuns nos gatos, as infecções bacterianas são consideradas uma das principais causas da incidência de febre entre os bichanos. Bactérias como a escherichia coli, giárdias e lombrigas, são algumas das principais responsáveis por esse tipo de evento em felinos. Seu tratamento se dá geralmente através de antibióticos, hidratações e soros glicofisiológicos; além de uma nutrição indicada por um especialista em veterinária.

6. Aumento de Temperatura

Apesar de ser uma das formas mais simples de ocorrência febril em bichanos, é uma opção que não deve ser descartada em hipótese alguma. Está bastante documentada na história da medicina o quanto o aumento brusco da temperatura pode ser responsável por essa incidência. O ideal é que se mantenha o animal em um ambiente ventilado, sob hidratação constante, culminando com uma visita a um especialista.

7. Câncer

Algo que pode passar despercebido durante a incidência de febre em felinos é a possível formação de tumores em seu organismo. Suas causas podem ser as mais diversas, como: fatores genéticos, má alimentação, infecções virais ou bacterianas; sendo recomendado, aos primeiros sinais de debilidade do animal, uma consulta com um especialista que realizará um exame completo, inclusive com uma biópsia que analisará o tecido afetado.

8. Traumas

As lesões traumáticas também podem ser um fator causador do sintoma febril em gatos de todas as idades. Por serem bastante discretos, costumam esconder lesões em seu corpo, o que exigirá de quem pretende adotar um gatinho uma atenção redobrada, apalpando constantemente as várias partes do seu corpo com bastante cuidado. E em caso de suspeita de lesão levá-lo, de imediato, ao especialista que irá realizar os procedimentos adequados que envolvem a administração de antibióticos, anti-inflamatórios e engessamento, até que se restabeleça a condição normal do felino.

Classifique o artigo

Publicidade