PIF - Perionite infecciosa felina: o que é?

Classifique o artigo

Todos os humanos temem o dia em que o seu amigo de quatro patas sofra de alguma doença perigosa ou problemática. É devido a isso que, não só se deve pedir ao médico veterinário que lhes dê as vacinas obrigatórias, mas também as facultativas.

Licença: 
CC Attribution 2.0

Todos os humanos temem o dia em que o seu amigo de quatro patas sofra de alguma doença perigosa ou problemática. É devido a isso que, não só se deve pedir ao médico veterinário que lhes dê as vacinas obrigatórias, mas também as facultativas. Mesmo um gato devidamente vacinado poderá sofrer de diversas doenças cujos sintomas devem ser descobertos o mais cedo possível. Focando-nos nas doenças de que um gato pode padecer, falemos da peritonite infecciosa felina, mais conhecida por PIF. Vamos ficar a saber de que se trata a peritonite infecciosa felina, de que modo afeta os felinos, que sintomas apresenta, bem como quais as formas de tratamento existentes.

O que é a peritonite infecciosa felina?

A peritonite infecciosa felina trata-se de um problema inflamatório que afeta o perônio, que é uma membrana que reveste a cavidade abdominal do felino. Esta doença foi diagnosticada pela primeira vez na década de 50 e é causada por um vírus denominado coronavirus felino. Qualquer gato poderá desenvolver a doença em idades jovens, porém poderão não sofrer de sintomas. A efetividade deste vírus é multiplicada em gatos com doenças como a FIV, imunodeficiência viral felina, e a FELV, conhecida como a leucemia felina, uma vez que estes gatos têm o sistema imunitário afetado e, por correlação, as defesas em baixo.

De que modo a PIF afeta os gatos?

A infecção de um gato pelo coronavirus felino, responsável pela PIF, poderá ser decorrente da gestação ou amamentação ou através da ingestão de fezes de gatos infectados pela perionite infecciosa felina, pelo que é frequente acontecerem surtos deste vírus em ambientes de gatis ou colônias em que vários gatos vivam em conjunto. O vírus poderá ser eliminado através da utilização de desinfetantes mas, no entanto, é resistente, podendo permanecer ativo em locais úmidos durante bastante tempo. É necessário ter-se especial atenção aos gatos que sofrem do coronavirus felino pois trata-se de um vírus altamente contagioso.

Quais são os principais sintomas da peritonite infecciosa felina?

Existem dois tipos de peritonite infecciosa felina: a seca (ou não efusiva) e a úmida (ou efusiva). A PIF efusiva é a mais grave forma da doença, sendo que os vasos sanguíneos do felino poderão ser danificados, criando uma acumulação de líquido no tórax e/ou no abdômen. Caso os danos sejam no tórax, o líquido acumula-se na zona do peito e pulmões, dificultando a respiração do animal, e se os danos forem nos vasos sanguíneos do abdômen, a barriga do gato incha, dando-se o nome de ascite a esta condição.

No que diz respeito à PIF não efusiva ou seca, há a afirmar que é a forma mais crônica da doença. Os gatos apresentam sintomas normais de doença como perda de brilho no pelo, falta de apetite e perda de peso, podendo até tornar-se ictérios. Poderão surgir alterações de cor nos olhos e nariz do felino, bem como sangramentos e manchas oculares. Poderão, inclusivamente, sofrer de problemas neurológicos. Os sintomas variam mediante os órgãos afetados pela PIF.

Que tratamentos existem para a PIF?

Infelizmente, a vacina para a peritonite infecciosa felina ainda está em fase de testes e, atualmente, não existe cura para a doença. De modo a que o gato tenha uma vida estável, será medicado e acompanhado pelo médico veterinário, e deve-lhe ser dado o conforto máximo possível em casa, para que este tenha uma vida digna.

Classifique o artigo

Publicidade