Como escolher a melhor ração para gatos

Classifique o artigo

A alimentação dos gatos é a principal responsável pela sua saúde e bem-estar, devendo ser escolhida criteriosamente e tendo em atenção diversos aspectos importantes que importa conhecer.

Licença: 
CC Attribution-NonCommercial-NoDerivs 2.0

A alimentação dos gatos é a principal responsável pela sua saúde e bem-estar, devendo ser escolhida criteriosamente e tendo em atenção diversos aspectos importantes que importa conhecer. Afinal, qual a melhor forma de escolher uma boa ração para gatos? Vamos descobrir!

Ração seca

Uma das opções é a ração seca. A ração seca ou granulada, vulgarmente conhecida nome de “biscoitos para gato” é muitas vezes preferida por ser prática, fácil de dar ao gato e não necessitar de grandes preocupações de limpeza no que diz respeito aos recipientes aonde é colocada. As rações secas não sujam, não salpicam nem originam cheiros a comida que se podem tornar enjoativos para as pessoas. 

Ração úmidas

Outra das opções para a alimentação dos gatos são as rações úmidas. Estas são normalmente as refeições enlatadas destinadas a gatos e existem em diversos paladares, constituídas por variados alimentos. Desde a carne até ao peixe, passando pelos legumes, vegetais e arroz, tudo pode ser encontrado nas rações úmidas. A grande vantagem deste gênero de ração é que já traz incluída água em dose suficiente para hidratar o gato, continuando, no entanto, a existir a necessidade de disponibilizar água limpa em quantidade ideal para o animal beber se assim desejar.

Idade do gato

Gatos juvenis necessitam de ração diferente dos gatos adultos, da mesma forma como gatas prenhas necessitam de ração diferente de gatas já mais velhas. Gatos saudáveis podem comer quase todas as rações existentes no mercado, sendo que gatos com problemas de saúde devem observar algumas restrições no que diz respeito à ração que comem. Normalmente os rótulos das rações especificam para que idade do animal são destinadas, bem como fornecem indicações quanto às dosagens e à frequência com que se devem alimentar os gatos. É muito importante ler sempre atentamente todas as instruções contidas nos rótulos das embalagens das rações, para que se possa escolher em consciência e na posse dos conhecimentos necessários.

Comida caseira

Ainda não há muito tempo praticamente todas as pessoas forneciam alimentação caseira aos seus gatos. Era comum os gatos partilharem a alimentação com os seus donos e só a chegada das rações industriais veio alterar esse panorama. Ainda hoje há quem prefira a alimentação feita em casa, mas convém ter em atenção que a comida caseira nem sempre fornece ao gato todos os elementos de que ele necessita para praticar uma alimentação equilibrada e saudável, bem como que há alimentos que os gatos não podem comer.

Preferência dos gatos

Normalmente os gatos orientam a sua escolha alimentar baseados no cheiro da comida. O olfacto dos gatos é extraordinariamente apurado e é um dos factores mais importantes na hora de escolherem aquilo que querem, ou não, comer. Rações úmidas são mais cheirosas do que rações secas e tornam-se, por isso, mais apetecidas por parte dos gatos. Independentemente do conteúdo da ração o aroma que ela solta é o que mais importa para o animal, cabendo aos donos contrabalançar corretamente os alimentos, misturando nas rações mais aromáticas ingredientes indispensáveis à saúde alimentar do gato.

Relação preço/qualidade

Embora o desejável seja conseguir boas rações a preços mais atrativos, a verdade é que na grande maioria dos casos as rações com custos mais elevados são aquelas que melhores garantias de qualidade oferecem aos gatos. Uma ração mais cara costuma ter como componentes ingredientes de melhor qualidade e em quantidades suficientes para alimentar o gato durante mais tempo. Pelo contrário, as rações mais baratas levam a que seja necessário fornecer nova dose de comida num intervalo menor de tempo, pois o gato começa a mostrar sinais evidentes de fome. O valor nutricional da ração deve ser sempre tomado em conta, pois é um factor decisivo para o bem-estar do gato.

Uma opção possível é misturar um pouco de ração seca com um pouco de ração úmida, juntando assim numa só refeição o melhor dos dois mundos. Seja qual for a escolha, o mais importante é que a ração seja do agrado do gato e que não provoque problemas de digestão ou de alergias susceptíveis de prejudicar a saúde do animal. O tempo e a experiência vão ajudando a descobrir se a ração escolhida é a mais acertada para cada gato, e à medida que se vai conhecendo melhor o bichano, assim se vai também descobrindo qual a alimentação mais indicada para ele.

Classifique o artigo

Publicidade