Como deixar o seu gato sozinho em casa e feliz

Classifique o artigo

Os gatos necessitam de companhia! Ao contrário do que muitas pessoas pensam, nós adoramos a companhia dos nossos humanos. Nós criamos laços fortes com algumas pessoas e com animais que vivem connosco.

Gato a descansar

Os gatos necessitam de companhia! Ao contrário do que muitas pessoas pensam, nós adoramos a companhia dos nossos humanos. Nós criamos laços fortes com algumas pessoas e com animais que vivem connosco. Quando o nosso humano nos deixa sozinhos durante muito tempo, podemos sentir-nos abandonados…

Pode pensar que um gato fica bem sozinho e não se importa que o seu dono saia de casa. A verdade é que muitos gatos ganham ansiedade de separação dos seus donos, especialmente se tiverem um laço de grande proximidade. Tenha sempre em atenção sinais de ansiedade que o seu gato pode demonstrar para, dessa forma, poder cuidar dele com mais atenção.

Como é que se manifesta a ansiedade de separação num gato

Existem várias formas, tudo depende de cada gato. Alguns mostram o seu descontentamento ao urinar ou defecar fora da caixa, por vezes na cama do dono ou até nas roupas.

Por vezes, a vocalização da ansiedade pode manifestar-se num miar mais agudo e mais audível que o comum, especialmente quando se assemelha a um uivar, na altura em que deixa de visualizar o seu humano.

Podem também tornar-se super dependentes, não deixando o seu dono longe da vista; outras vezes ficam deprimidos, escondem-se, evitando contacto com humanos. Há gatinhos que chegam a deixar de comer, ou comem em demasia.

Basicamente, deve estar atento a situações que não sejam comuns no comportamento do seu felino; pois é desolador e muito frustrante quando um gato desenvolve este tipo de comportamento.

Como evitar e cuidar

Quanto mais rico e seguro o ambiente for para o seu gato, melhor ele se sentirá em casa quando estiver sozinho.

Evite as despedidas longas

As despedidas longas são deprimentes para todos. Antes de sair não dê mimos ao seu gato, em vez disso deve dizer um “Até já” divertido e alegre. Não torne a despedida em algo memorável, porque se estiver a prever que o seu gato vai sofrer e se sentir triste, irá piorar tudo – acabando o seu gato a imaginar que se vai embora durante meses, em vez de serem apenas 8 horas.

Certifique-se que as necessidades do seu gato são satisfeitas

Os gatos são animais de rotina, e a mudança nesta pode afetá-los. É essencial que as refeições sejam dadas à mesma hora, no mesmo local – e de forma especialmente calma. Outra situação que deve ter em atenção é à caixa de areia e à limpeza desta: deve estar sempre limpa, e nunca deixar acumular as fezes, pois os gatos são animais extremamente limpos.  

Dê ao seu gato um ambiente que seja propício ao seu bem-estar físico e mental

É muito importante que os seus amigos felinos se sintam estimulados, e que quando não está em casa, os seus gatos devem sentir vontade de brincar com os seus brinquedos, por isso, descubra brinquedos que eles gostem, como ratinhos recheados de catnip (gatária), bolas, ginásios…

Poderá, por exemplo, colocar um comedouro para pássaros fora da janela onde ele gosta de estar. Dessa forma, ele ficará entretido enquanto admira os pássaros que se vêm alimentar ali.

Sempre que estiver em casa – nunca na altura em que esteja de saída ou na hora da sua entrada – tenha sempre pelo menos 10 minutos de brincadeira ativa com os seu bichanos. Há gatos que gostam de correr atrás de bolas, atrás de uma luz de laser, outros que preferem cordéis, outros um pequeno ramo puxado pelo chão, tudo o que seja uma loucura. Você conhece o seu amigo, por isso, sabe o que o fascina para brincarem. Porém, este tipo de brincadeiras nunca deve ocorrer pelo menos 15 minutos antes de sair nem nos 15 minutos que chega, nessa ocasião deve ignorar o seu gato – pode parecer cruel, mas é uma forma de ele não associar a sua saída ou entrada em casa com momentos de ansiedade.

Cuidar da ansiedade

É muito importante certificar-se que o comportamento do seu gato não se deve a algum tipo de problema físico. Por exemplo: um gato que urina fora da caixa da areia ou que se agacha muito pode estar com uma infeção urinária ou com o trato urinário obstruído. Um gato que se lambe muito, pode estar a sofrer de uma alergia alimentar.

O seu veterinário pode ser fundamental numa situação de ansiedade de separação. Se já tentou de tudo e o seu gato não melhora, então o ideal é que o seu veterinário e/ou um especialista em comportamentos animais avalie o que se passa verdadeiramente com ele. Por vezes poderá ser necessária medicação.

Classifique o artigo

Publicidade