Dia-a-dia da higiene felina

Classifique o artigo

Não será preciso dizer que os gatos são dos animais domésticos mais limpos que existem e a razão muito simples: adoramos cuidar de nós próprios e a prová-lo está o facto que passamos cerca de 30% das nossas vidas a fazê-lo!

Gato no WC
Licença: 
CC Attribution-NonCommercial-NoDerivs 2.0

Não será preciso dizer que os gatos são dos animais domésticos mais limpos que existem e a razão muito simples: adoramos cuidar de nós próprios e a prová-lo está o facto que passamos cerca de 30% das nossas vidas a fazê-lo! No entanto, hoje vimos admitir que também precisamos da ajuda dos nossos donos para uma higiene diária que faça de nós uns verdadeiros “gatos e gatas”.

Lamber até não poder mais!

A realidade do mundo felino é que se não estamos a dormir, a comer ou a caçar, estamo-nos a lavar. A língua é o nosso aliado mais importante para uma higiene diária que pode parecer excessiva e até vaidosa, mas que no fundo é uma característica inata e vital para o nosso bem-estar. Chame-nos esquisitos ou perfeccionistas, mas a verdade é que a mais pequena coisa que possa estar a mais no nosso pêlo incomoda e desencadeia, de imediato, uma sessão de lambidelas.

Sabia que?

  • Quando decidimos tratar da nossa higiene, procuramos sempre um local sossegado e confortável, de preferência, com algum sol?
  • Graças à fantástica flexibilidade da nossa espinha dorsal conseguimos lamber cada centímetro do nosso corpo, excepto a cabeça e o focinho? Quanto a estas, desenvolvemos um método infalível que implica lamber as patas e passá-las por toda a cabeça e focinho. Somos ou não somos desenrascados?!
  • Costumamos começar pelo pescoço e o peito,  passando depois para os ombros e as costas. Se reparar bem, os nossos gestos são sempre muito precisos e contínuos, por isso, não gostamos de ser incomodados nestas alturas. Sendo assim, pode esperar mais cinco minutinhos enquanto que eu me acabo de arranjar?!
  • Se não conseguirmos retirar alguma coisa do nosso pêlo com a língua, não temos medo de usar os dentes para nos livrarmos dela!
  • Para além de ser uma forma de entretenimento ou de passarmos o tempo, às vezes lambemo-nos para aliviar a ansiedade. Ao depositarmos a nossa própria saliva no pêlo, conseguimos cheirar-nos, o que nos traz uma sensação de segurança. Se você estiver nervoso, às vezes rói as unhas ou range os dentes, não é verdade? Quando nos acontece alguma coisa desagradável, como por exemplo cairmos mal depois de um salto supersónico, partimos para as lambidelas desenfreadas!
  • Quando está calor, a nossa saliva funciona como um ar condicionado, reduzindo a temperatura do corpo em cerca de um terço. Por outro lado, nos meses mais frios do ano, a nossa língua (que vista à lupa é uma espécie de engaço) alinha o pêlo de tal forma que ficamos quentíssimos, isolando assim o frio!
  • Quando nos lambemos estamos a absorver a vitamina D que se encontra na nossa própria pelagem?
  • As lambidelas também têm uma função puramente estética? O movimento da língua activa as glândulas sebáceas, cuja secreção impermeabiliza o nosso bonito pelo, conferindo-lhe aquele aspecto brilhante e saudável que merecem os elogios dos nossos donos!

Liteira limpa!

Como qualquer outro animal, também nós precisamos de cuidados especiais e regulares e, como dono, o seu papel na nossa higiene é fundamental, começando pela caixa de areia. Já sabe que se me vai levar para casa tem, obrigatoriamente, de levar uma liteira também. A vulgar caixa de areia é o nosso WC privado, por isso, coloque-o num local calmo e longe da zona de refeições – também não gostava de ter os dois lado a lado, pois não?! Os excrementos devem ser removidos diariamente e a areia renovada periodicamente. Para além disso, o próprio recipiente deve ser lavado de forma regular. São três regras de ouro… e, se não forem cumpridas, a casa será inundada por um odor muito desagradável e eu vou fazer greve! O que quero dizer com isso? Vou começar a espalhar o conteúdo da liteira por todo o lado e passar a fazer as minhas necessidades onde calhar! Desculpem, mas regras são regras, por isso, disciplina! Eu vou ficar muito satisfeito e o seu nariz vai agradecer!

Pêlo brilhante

Apesar de estarmos constantemente a tratar do nosso pêlo com sessões de lambidelas non-stop, também contamos com os nossos donos para nos ajudar a manter o nosso manto impecável. Sabia que, para além da sua vertente estética, quando escova o nosso pêlo estimula a nossa circulação e ajuda a evitar a formação daqueles horrorosos rolos de pêlo que se acumulam no estômago (pomposamente chamados de Egagrópilos – ai, só de pensar neles até me arrepio!).

  • É também nestas alturas que se distinguem os gatos de pêlo curto dos de pêlo comprido. Os de pêlo curto devem ser escovados semanalmente com uma escova macia, da cabeça às patas, para eliminar os pêlos velhos. Segue-se a cauda que, dividida em duas partes, deve ser escovada para os lados.
  • Por sua vez, os gatos de pêlo longo devem ser escovados diariamente com um pente e uma escova de cerdas. Começando com o pente de metal, escova-se o pêlo do abdómen e das pernas e depois o resto do corpo, mas em sentido contrário. O pescoço deve ser escovado de baixo para cima. Depois, utilizando a escova de cerdas, repetem-se os mesmos passos indicados para escovar o gato de pêlo curto.
  • Outra dica é o uso, uma vez por semana, de um pó de talco neutro na escovagem. Nos gatos machos deve colocar-se ainda o pó de talco na base da cauda, que costuma ser gordurosa. Esta não sabia, pois não?! Quem é amigo?! Sou eu! Então, aqui vai mais um conselho importante: o ideal é aproveitar estas sessões de escovagem para inspeccionar o nosso corpo – nunca se sabe quando algo suspeito pode aparecer!

Banho com moderação!

Os gatos molhados não são uma bonita imagem, mas de vez em quando temo-nos de render a um bom banho. Não pode ser assim tão mau, afinal de contas, os humanos fazem-no todos os dias! Está rotina deve ser incutida desde que somos gatinhos mas, mesmo que estejamos habituados, eis algumas dicas a considerar:

  • É sempre mais fácil dar o banho a dois, uma pessoa para me segurar e outra para me ensaboar!
  • Seja na banheira ou numa bacia, convém não encher com água até cima por dois motivos: um, não sei nadar; e dois, como os meus olhos, orelhas e nariz são extremamente sensíveis, um banho de imersão não é aconselhável!
  • Estar em contacto com a água é sempre uma aventura, por isso, corte as minhas unhas antes do banho e coloque uma toalha velha ou um brinquedo na banheira/bacia para me entreter a mim e às minhas garras!
  • Não se esqueça de comprar um champô próprio para gatos – sou fiel a apenas esse!
  • Utilize um pequeno recipiente para me molhar e para retirar o champô, assim como um pano para lavar as zonas mais delicadas. O chuveiro será um pouco demais para mim!
  • Tenha especial cuidado ao retirar o champô e certifique-se que não fique nada atrás… é que se não, vou-me coçar toda a noite e ainda ganho uma irritação, o que implica uma visita ao Dr. Veterinário. E nenhum de nós quer isso!
  • Retirado todo o champô (este até cheira bem!), vem a parte que mais gosto – estar aconchegado no colo do meu dono numa toalha grande e fofa. Há que secar-me com cuidado e só estarei pronto quando toda a água em excesso foi absorvida pela toalha. Outra técnica que sabe bem é o uso de um secador (que quentinho!), sempre na sua potência mais baixa e nunca direccionado ao meu focinho! Atenção, existem felinos que têm pavor dessa máquina e, principalmente, do seu barulho, por isso, vai ter que haver um ensaio prévio.
  • No final, fico à espera de muitos elogios, tipo: “ai, o teu pêlo nunca esteve tão brilhante” ou “cheiras tão bem fofinho”!

Olhos & Orelhas

Como estes são locais de difícil acesso e limpeza para nós, contamos convosco para nos dar uma mão. Como já deve ter reparado, sofremos muitas vezes de olhos lacrimejantes o que provoca a formação de secreções no canto dos olhos – nada bonito para quem nos está a olhar “olhos nos olhos”, por isso, basta um pouco de papel higiénico seco para as retirar, seguido de uma nova passagem, desta feita com o papel higiénico embebido num pouco de soro fisiológico ou água de rosas. Limpe sempre no sentido de fora para o canto do olho e não aproveite o papel do olho já limpo para utilizar naquele que ainda está por limpar – pode ser pior a emenda do que o soneto!

Mais acima, as nossas orelhas também requerem um cuidado regular, ou seja, convém dar uma espreitadela todas as semanas – é incrível a quantidade de cera que acumulamos nesses pequenos canais! Com recurso a um cotonete embebido num líquido específico para as orelhas dos gatos (disponível na loja de animais mais próxima!) ou em óleo de bebé Johnson’s, limpe a área exterior ao ouvido, passando depois para a parte superior da orelha. Sempre com muito cuidado. Vá substituindo os cotonetes sujos até terminar. Se não formos muito cooperantes, não é de estranhar… recorra às posições sugeridas para cortar as nossas unhas. O ritual de beleza está completo! Meow! Ou melhor, obrigada!

Dentes saudáveis

Está a rir-se? É verdade, nós também temos de lavar os dentes, ou melhor, você é que tem de se encarregar disso mas, não se preocupe, não é necessário fazê-lo três vezes ao dia – basta dia sim, dia não. Antes de iniciar esta rotina, passe pela minha loja preferida (já sabe que é a dos animais!) e compre-me uma escova de dentes e pasta dentífrica própria para gatos. Eu sei, pode parecer uma perfeita loucura, mas estes produtos existem e os meus dentes precisam deles! Não vou usar os seus, pois não?! Eu sou um bicho de hábitos, mas quanto a este, vamos ter de fazer isto aos poucos:

  • Nos primeiros dias, e comigo sentado confortavelmente no seu colo, vai encher-me de gestos carinhosos nas bochechas para eu me habituar a esse toque nessa zona.
  • Depois, deixe-me provar a nova pasta.
  • Alguns dias mais tarde, pode espalhar um pouco da pasta na minha nova escova (se não conseguiu encontrar nenhuma, pode utilizar um pouco de gaze para o efeito) e com muito cuidado levante o meu lábio superior com o seu polegar e comece a lavar os meus dentinhos (e não se esqueça das gengivas) com movimentos suaves e circulares. Não faça muita pressão, se não já sabe, desapareço!
  • Vai ser difícil lavar-me os dentes todos de uma só assentada, por isso, mais vale investir em sessões mais curtas, mas mais frequentes. Confie em mim!
  • Apesar de morosa, esta rotina é muito importante e, se descurada, posso contrair uma doença dentária que pode ainda despoletar outras doenças, nomeadamente aquelas associadas ao coração, ao fígado e aos rins. Posso contar consigo não posso? Já sabia que sim… prrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr...

Classifique o artigo

Publicidade