8 gatos famosos

Classifique o artigo

Conhecemos-lhes dos livros, da televisão, da tela do cinema e não nos cansamos destes gatos muito particulares cuja fama lhes bateu à porta…neste caso ao cesto!

gatos famosos

Conhecemos-lhes dos livros, da televisão, da tela do cinema e não nos cansamos destes gatos muito particulares cuja fama lhes bateu à porta…neste caso ao cesto!

Garfield

Garfield

O meu ídolo e o ídolo do mundo felino em geral! Criado por Jim Davis em 1977 – que se inspirou na sua infância, tendo crescido numa quinta na companhia de mais de 25 gatos! – o nome Garfield é uma homenagem ao avô do cartoonista. Ora, esta bola de pêlo laranja e preta destacou-se e celebrizou-se pela sua acentuada preguiça, pelo seu horror às segundas-feiras, pelas traquinices constantes e a obsessão louca por lasanha! O seu dono, o cartoonista John Arbuckle, divide as suas atenções entre o seu gato e um cão – o Odie – que o Garfield adora tantalizar! Não é todos os dias que conhecemos um gato como este que continua a animar, ainda hoje, as páginas de mais de 2500 jornais, sem esquecer os filmes e videojogos. Temos que almoçar um dia destes Garfield… conheço um restaurante italiano que vais adorar!

Hello Kitty

Hello Kitty

A Hello Kitty é, sem qualquer dúvida, a gata mais famosa do mundo! Nasceu no Japão, em 1974, e temos de agradecer à Sanrio por ter posto esta gata-deusa no universo dos felinos! Giríssima e sempre muito fashion, não sei o que gosto mais: se das botas que ocasionalmente usa, se do laço que tem sempre na cabeça! Prrrrrrrrrrrrr.... Bem, onde é que íamos? Ah, curiosamente a Hello Kitty foi pensada para agradar exclusivamente ao público infantil e a verdade é que não só o conquistou, como contagiou todos os outros públicos femininos que havia para conquistar. Mais conhecida do que os tremoços, acho que não deve haver objecto no mundo que não tenha a sua cara laroca estampada no mesmo... e tudo orgulhosamente exibido por mulheres dos 8 aos 80! Apesar da sua agenda hiper-preenchida, vou tentar a minha sorte: “Hello, Hello Kitty, vamos jantar sexta-feira à noite?”…

Gato de Chesire

Gato de Chesire

O gato de “Alice no País das Maravilhas” nasceu em 1865 graças à imaginação soberba de Lewis Carroll que o baptizou com o nome da sua terra natal – Chesire. Esta personagem cómica, tão depressa aparecia como desaparecia nas aventuras de Alice, proporcionando conversas engraçadas – e por vezes muito enervantes – a Alice que diga! O Gato de Chesire celebrizou-se pelo seu sorriso malandro que, numa cena bem conhecida, a imagem deste felino vai desvanecendo até se ver apenas o seu enorme sorriso. Isto leva Alice a comentar que já muitas vezes tinha visto um gato sem um sorriso, mas nunca teria visto um sorriso sem um gato – uma frase que ficou para a história! Tanto até que surgiu o ditado “sorrir como um gato de Chesire”, usado para descrever alguém que sorri de forma malandra! Só de o ver, já me dá vontade de rir!

O Gato do Chapéu

O Gato do Chapéu

Uma criação da década de 50 de um dos autores de livros infantis mais aclamados, o Gato do Chapéu – do famoso Dr. Seuss (pseudónimo de Theodor Geisel) – é um felino alto e esguio que não sai de casa sem o seu chapéu e laço ao pescoço (muito estiloso!). Na história, o Gato do Chapéu aparece a duas crianças que estão em casa sozinhas num dia chuvoso, divertindo-os à brava, irritando profundamente o seu animal de estimação (um peixe dourado…yuck!) e virando a casa de pernas para o ar. Qual artista e gato dos sete ofícios, consegue arrumar tudo e desaparecer segundos antes da mãe voltar! As suas proezas já lhe valeram uma série televisiva, um musical, um filme protagonizado por Mike Myers (2003) e uma diversão com o seu nome no parque temático “Islands of Adventures” nos Estados Unidos. Tenho de arranjar o email dele…

O Gato das Botas

O Gato das Botas

Talvez um dos felinos mais famosos de sempre, é este espectacular Gato das Botas que nasce da pena do escritor francês Charles Perrault em 1697 para protagonizar um conto de fadas simplesmente delicioso: utilizava os seus truques felinos para conseguir grandes riquezas para o seu pobre dono, entretanto transformado num príncipe. ”Velho” pode estar a pensar…mas velhos são os trapos meus amigos! O Gato das Botas tem um portfolio artístico de lhe fazer roer a cauda de inveja: vários livros, incluindo banda desenhada, dezenas de filmes, duas séries televisivas, um videojogo e até uma ópera! Mais recentemente, fez-nos chorar de tanto rir na divertida trilogia “Shrek”, com a magnífica voz de António Banderas. E ainda está aí para as curvas! Será que não precisa de um parceiro para o Shrek 4? Tenho de enviar-lhe o meu currículo…

Duquesa

Duquesa

A outra gata da lista só podia ser a elegantíssima Duquesa! Esta gata persa (linda de morrer diga-se de passagem!) foi criada na década de 70 para a película “The AristoCats” da Walt Disney e nunca mais nenhuma gata lhe chegou às patas! A magnífica voz por de trás daquela bola de pêlo delicada e bela era a igualmente deslumbrante Eva Gabor. Entretanto reeditado, o filme é considerado um dos grandes clássicos da Walt Disney… tenho de o rever! Acabei de ter uma ideia genial! Se a Hello Kitty não aceitar o meu convite, pode ser que a Duquesa me convide para passar o fim-de-semana na sua mansão em Paris…

Silvestre

Silvestre

Um dos gatos mais premiados de Hollywood (3 Óscares!), Silvestre é um felino bem traquina que não vive sem perseguir a sua presa preferida – o Tweety! Com mais de 100 aparições em episódios com a assinatura Looney Tunes entre 1945 e 1966 não haverá, certamente, um gato mais persistente! Conhecido pela sua maneira muito particular de balbuciar a famosa expressão “santa estupidez”, foi ainda protagonista nas películas hollywoodescas “Roger Rabbit” e “Space Jam”, entre muitas outras participações fabulosamente felinas. Se calhar conseguia apanhar-me a Hello Kitty e íamos todos passar o fim-de-semana a Paris…

Tom

Tom

Parte hilariante da mais conhecida dupla de gato e rato, o Tom vive para atazanar o Jerry e vice-versa! Criado por William Hanna e Joseph Barbera são 114 os episódios divertidos que puseram o gato atrás do rato entre 1940 e 1957 e que já lhes valeram sete Óscares da Academia! A caça infrutífera ao Jerry faz do Tom um gato que é facilmente “enganado” pela esperteza do Jerry… uma dupla adorável que, no fundo, não conseguem viver um sem o outro! A sua popularidade atingiu tal nível que voltaram e não saíram do pequeno ao longo das décadas de 80 e 90. A viragem do século manteve-os na televisão com temporadas curtas recheadas de aventuras loucas, sem esquecer os DVDs, videojogos, livros e inúmeras participações especiais em outros filmes. Será que ele consegue largar aquele rato durante uma tarde e vir lanchar comigo? Acho que lhe podia ensinar uma coisa ou duas acerca da melhor forma de apanhar aquele Jerry!

Classifique o artigo

Publicidade